Repercute a crise política de Várzea da Palma que já ultrapassa os limites da cidade

 

Publicado em: 04/03/2010 14:13

Whatsapp

 

É muito comum se dizer que as noticias veiculadas sobre Várzea da Palma, na mídia regional e até nacional são sempre de noticiais ruins. Nos anos 70, campeou a violência, com tiroteios e mortes nas ruas. A cidade parecia mais um cenário de far-west, tipo Hollywood, e Jonhs Waynes circulavam pelas ruas com colts 45 disparando a torto e direito. Nos anos 80, Várzea da Palma ocupou a mídia nacional pelo quebra-quebra na cidade, e noticias de que o prefeito da época havia fugido com o dinheiro da Prefeitura. Pouco tempo depois, o povo foi às ruas e acuou os vereadores na Câmara Municipal. Muitos vereadores tiveram que sair de camburão. Nos dias atuais, quando a população promoveu uma histórica virada política, sob a égide da mudança, eis que um ano depois de empossado, o jovem e inexperiente Prefeito Luiz Antônio já encontra forte rejeição e vive momentos de tensão, com a população saindo às ruas para protestar e pedir sua saída da Prefeitura. É fato que os tempos mudaram. A conscientização da população após a Constituição de 1988 foi muito importante. A chamada Constituição Cidadã, promulgada pelo lendário Deputado Ulisses Guimarães, trouxe avanços consideráveis. O significado de cidadania deixou de ser uma coisa distante, mas passou a ser realidade. O cidadão passou a exercer e clamar por seus direitos. A partir do Movimento dos Caras-Pintadas, para deposição do Presidente Collor de Melo, com manifestações pacíficas, o povo sentiu o gostinho de ter força, de ter voz, de eleger e poder tirar. A pressão do povo pode mudar situações políticas, como já aconteceu no passado. Um exemplo é a cidade de Januária, onde 4 prefeitos foram cassados nos últimos 5 anos. Várzea da Palma vive momentos conturbados neste início de 2.010. A população saiu às ruas no último dia 26.02, numa passeata pacífica de protesto contra o Prefeito e sua equipe. Até onde essa onda de indignação popular vai chegar ninguém sabe, mas que abalou os alicerces do poder reinante, isso é plena e absoluta verdade. Essa ruptura política - entre poder e povo – vem alterar 12 anos de tranqüilidade política vivida em dois mandatos do Professor Arnaldo Marques – por coincidência é o atual vice-prefeito – e um mandato de Dr. Gerci David dos Santos. Enquanto Pirapora e Lassance, nossas vizinhas, avançam e progridem, Várzea da Palma volta a um passado que o povo queria esquecer. Mais uma vez, Várzea da Palma foi notícia regional e até nacional. Uma prova disso foi um e-mail enviado pelo funcionário do Tribunal de Contas do Estado, Sr. Johnatan Carneiro que diz o seguinte: “Parabéns a iniciativa da Câmara em lutar pelos direitos dos cidadãos, uma sociedade só se faz respeitando a democracia, os interesses coletivos. No dia em que o povo atinar que a tomada de decisão tem que ser feita em conjunto, sociedade, legislativo e executivo, Várzea da Palma será uma cidade melhor para se viver!” Isso significa que os Órgãos competentes de Fiscalização como o próprio Tribunal de Contas do Estado - TCE/MG estão de olho nos acontecimentos e desdobramentos políticos na cidade de Várzea da Palma e isso é muito importante. Importante é o trabalho da Imprensa, tanto falada como escrita para divulgar os fatos com isenção e responsabilidade. Nesse contexto, a Câmara tem papel preponderante e mediador, como porta-voz da população e órgão fiscalizador das contas municipais. Há de se lembrar que num regime democrático de direito, cabe ao Poder Legislativo a abertura de uma CPI, dar pleno direito de defesa e, por 2/3 dos votos dos vereadores cassarem o mandato do Prefeito que transgredir as leis ou mostrar-se ineficiente para comandar os destinos da cidade. A cerca de 15 dias a INTERTV noticiou a situação da cidade, mostrando o descaso e abandono em que vive, pela falta de ação e compromisso dos governantes, que prometeram e não estão cumprindo. A população cobra com razão. Várzea é a 3ª cidade em arrecadação do Norte de Minas, com orçamento de quase 40 milhões anuais. A população quer saber o que se faz com esse dinheiro que entra nos cofres municipais. A população quer ver Várzea da Palma na mídia, mas é pela inauguração de obras, pelo seu Forró da Palma, a maior festa regional na atualidade, pela sua produção industrial, pela excelência do rebanho bovino, pelas grandes vitórias no esporte como a Copa INTERTV de Futsal, por exemplo, e pela capacidade intelectual de seu povo. Disputas e picuinhas políticas só denigrem o nome de nossa cidade e afastam empresários, investimentos e benefícios políticos de toda ordem. Tanto Ricardo Vicintin quanto Giuseppe Trincanato já tiveram problemas com administrações passadas. Ano passado fechou a Eliane/Minas, antiga Palmasa. A população varzeapalmense não quer baderna, convulsão ou ruptura do tecido social. A população quer respeito ao dinheiro público, honestidade e competência com a cousa pública e uma cidade melhor para se viver, trabalhar, progredir, com harmonia, paz e segurança. Mais uma vez o conselho do Sr. Johnatan Carneiro é pertinente: “No dia em que o povo atinar que a tomada de decisão tem que ser feita em conjunto, sociedade, legislativo e executivo, Várzea da Palma será uma cidade melhor para se viver!”